Tipos de equipamentos de proteção individual (EPI)

Existem determinadas funções que requerem o uso de alguns tipos de equipamentos de proteção individual (EPIs), visando assim garantir a segurança do trabalhador e proporcionando melhores condições de trabalho.

Compreender e fiscalizar o uso desses equipamentos não é apenas uma obrigação legal que as empresas devem cumprir, mas também uma responsabilidade com a vida, saúde e integridade dos trabalhadores que desempenham um papel fundamental nos negócios.

Dessa forma, o fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPI) é fundamental!

Levando isso em consideração, preparamos este post exclusivamente para apresentar os principais tipos de EPIs disponíveis no mercado, além de explicar como esses equipamentos de segurança funcionam e quais são os benefícios para os operadores. Então, continue lendo. Vamos lá!

Os tipos de equipamento de proteção individual EPI

Os equipamentos de proteção são indispensáveis para garantir a segurança e preservar a saúde física dos trabalhadores, protegendo-os contra os riscos de acidentes e doenças ocupacionais.

Além disso, ao prevenir doenças ocupacionais, os EPIs evitam o surgimento de problemas de saúde, como alergias, intoxicações e danos causados por substâncias agressivas e podem trazer benefícios financeiros ao empregador, resultando na redução de custos.

Isso também impacta positivamente na produtividade da equipe, reduzindo faltas e licenças médicas.

O que são EPIs?

A sigla EPI refere-se a Equipamentos de Proteção Individual e, esses equipamentos e acessórios foram desenvolvidos para proteger os trabalhadores contra riscos específicos relacionados às atividades que desempenham.

O uso desses equipamentos são obrigatórios, pois, eles eliminam ou diminuem os riscos de incidentes durante o desenvolvimento das atividades laborais.

Portanto, se um equipamento de proteção não for utilizado ou não oferecer proteção adequada, pode aumentar e muito as chances de ocorrer acidentes de trabalho ou doenças ocupacionais.

Se você possui trabalhadores que trabalham sem utilizar os EPIs adequados, então está na hora de rever essas práticas em sua empresa.

Todo cuidado é muito importante para melhorar a qualidade de vida e a segurança dos seus funcionários.

Porém os equipamentos de proteção não têm uma classificação oficial, mas alguns tipos de EPIs são identificados como:

  • Proteção para a cabeça
  • Proteção para os membros superiores e membros inferiores
  • Proteção de tronco
  • Proteção das vias respiratórias
  • Cintos de segurança

E cada um deles tem os vários equipamentos destinados a proteger dos diversos riscos.

Qual a importância de usar EPI no trabalho?

Os equipamentos de proteção individual (EPIs) consistem em dispositivos de segurança que devem ser obrigatoriamente utilizados, visando principalmente a redução de riscos e a proteção de contato de agente agressivo com o trabalhador.

Os EPIs conseguem prevenir a maioria dos acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

O uso correto desses equipamentos tornam as empresas mais seguras, tanto para os trabalhadores quanto para as próprias empresas, já que acidentes podem ocorrer no ambiente de trabalho e qualquer pessoa pode ser vítima.

Porém vale lembrar que, caso a empresa não forneça e não fiscalize o uso dos EPIs, estará descumprindo os termos da Norma Regulamentadora (NR6), correndo o risco de receber multas e até mesmo enfrentar processos judiciais que são bem dispendioso.

Dentre as atribuições exigidas pela NR-6, cabe ao empregador as seguintes obrigações:

  • Adquirir o EPI adequado ao risco de cada atividade
  • Exigir seu uso
  • Fornecer ao trabalhador somente o equipamento aprovado pelo órgão, nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho
  • Orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação
  • Substituir imediatamente o EPI, quando danificado ou extraviado
  • Responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica e
  • Comunicar o MTE qualquer irregularidade observada

Portanto, é extremamente importante que a empresa se preocupe com a questão dos EPIs, pois isso garante a saúde e a segurança dos seus trabalhadores, além de assegurar que o trabalho seja realizado com o mínimo de riscos possíveis.

Qual objetivo do EPI?

De acordo com a Lei, o equipamento de proteção individual é todo dispositivo de uso pessoal destinado à proteção física do trabalhador durante a atividade laboral.

Então o objetivo do EPI é neutralizar ou diminuir a ação do agente agressivo contra o corpo da pessoa que o usa.

Um exemplo prático: Um martelo cai de uma mesa, atingindo a bota de segurança de um trabalhador. O calçado pode sofrer algumas escoriações, mas o pé do trabalhador fica ileso. O que a bota de segurança evitou, o contato direito do martelo com os pés, ou seja, a lesão.

Qual a obrigatoriedade dos EPIs na lei?

Conforme a NR 6, os equipamentos de proteção são obrigatórios e cabe a empresa fornecer gratuitamente equipamentos de qualidade aos funcionários.

Porém tanto a empresa como os funcionários têm responsabilidades no uso dos equipamentos.

Os equipamentos precisam ter certificado emitido pelo órgão fiscalizador do governo e estar dentro da data de validade.

No entanto, os EPIs estão distribuídos conforme seus riscos de acordo com PPRA das empresas, o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Confira a seguir as normas para cada tipo de proteção:

NR 23 — Proteção contra incêndios: capacetes, luvas (geralmente em couro térmico), botas, capuz de EPI balaclava e equipamentos de proteção respiratória

NR 32 — Estabelecimentos de saúde: toucas, aventais, máscaras, sapatos fechados, luvas que protegem contra riscos biológicos e químicos e óculos

NR 18 — Construção civil: abafadores de ruído, aventais e luvas de raspa, capacetes, calçados, cintos, máscara filtradora e óculos de proteção

NR 33 — Espaços confinados: capacetes com jugular, luvas de raspa ou PVC, óculos, botas e respiradores

NR 35 — Segurança nas alturas: cinto tipo paraquedista, trava-quedas, talabartes, capacetes com jugular, botinas, óculos e luvas

Importante lembrar: É de responsabilidade do empregador fornecer todos os equipamentos de proteção e de responsabilidade dos trabalhadores utilizar adequadamente e sempre que exposto às atividades de risco.

E vale ressaltar ainda, caso seja analisado que o funcionário não está usando os equipamentos adequadamente, pode ocasionar em uma demissão por justa causa conforme o art. 158 da CLT.

Principais tipos de equipamentos de proteção individual (EPIs)

Garantir a saúde e a proteção física dos colaboradores é uma prioridade absoluta. E uma das formas mais eficazes de alcançar esse objetivo é através do uso correto dos EPIs.

Esses dispositivos são indispensáveis para minimizar riscos e prevenir doenças ocupacionais, além de oferecer uma camada extra de segurança em caso de acidentes de trabalho.

A seguir vamos destacar os principais tipos de EPIs usados nas empresas:

Proteção auditiva

Para aqueles que estão expostos a ruídos altos excessivos ou exposição prolongada a barulhos, é essencial o uso de protetores de ouvidos.

Para fazer essa proteção os EPIs mais usados são:

  • Protetores auditivos do tipo concha
  • Protetores auditivos tipo Plug de Inserção (moldável)

Eles ajudam na redução dos efeitos da incidência sonora nos ouvidos.

Proteção respiratória

Quem lida com substâncias químicas ou atividades orgânicas precisa de máscaras e respiradores com filtros adequados para proteger os pulmões contra névoas, poeiras, gases e vapores que podem causar danos à saúde.

Os EPIs mais utilizados são:

  • Respiradores purificadores de ar (descartáveis)
  • Respiradores de adução de ar (máscaras autônomas), e
  • Respiradores purificadores de ar semifacial ou facial (com filtro)

Proteção visual

Os olhos são extremamente sensíveis, por isso é importante utilizar óculos de proteção específicos para evitar lesões causadas por partículas ou radiação UV.

Existem diferentes modelos disponíveis no mercado para diferentes necessidades. Mas podemos destacar os:

  • Óculos para proteção dos olhos contra impactos de partículas volantes.
  • Óculos para proteção dos olhos contra luminosidade intensa.
  • Óculos para proteção dos olhos contra radiação ultravioleta.
  • Óculos para proteção dos olhos contra radiação infravermelha.
  • Óculos de tela para proteção limitada dos olhos contra impactos de partículas volantes.

Proteção facial

Algumas tarefas podem apresentar riscos diretos à face, como respingos químicos ou partículas em suspensão. Nesses casos, as máscaras de proteção facial são essenciais para proteger todo o rosto do colaborador.

Já neste caso podemos destacar os:

  • Protetor facial contra impactos de partículas volantes
  • Protetor facial contra respingos de produtos químicos
  • Protetor facial contra radiação infravermelha
  • Protetor facial para proteção dos olhos contra luminosidade intensa

Proteção da cabeça

Para evitar lesões na cabeça, especialmente em locais onde há risco de quedas, o uso de capacetes é imprescindível, já que são feitos com material sintético bastante resistente ao impacto.

Esses equipamentos oferecem proteção contra impactos, quedas de objetos e choques mecânicos.

Existem modelos de capacetes com fendas laterais para facilitar o acoplamento de acessórios, como lanternas, protetores auditivos e faciais. Eles podem ser encontrados em três tipos:

  • Capacete com aba frontal
  • Capacete com aba total
  • Capacete com aba frontal e viseira

Proteção das mãos

As mãos são uma parte vital do corpo e devem ser protegidas adequadamente. Luvas e cremes protetores e dedeiras são exemplos de EPIs que ajudam a evitar cortes, queimaduras e outros acidentes que possam comprometer a funcionalidade das mãos.

Porém as mãos precisam ser protegidas, e a escolha das luvas de proteção ideias devem ser levando em consideração ao tipo de atividade que o trabalhador desenvolve.

Podemos classificar esses riscos em:

  • Riscos mecânicos
  • Riscos químicos
  • Riscos biológicos

Por esse motivo é obrigatório a utilização das luvas de segurança em diversas atividades.

Proteção contra quedas

Em atividades realizadas em alturas superiores a dois metros, é fundamental utilizar dispositivos como trava-quedas, talabartes, ancoragens e cinturões de segurança para prevenir quedas e garantir a segurança dos colaboradores.

Existem muitos outros tipos de EPIs, cada um com uma função específica. Portanto, é importante analisar cuidadosamente as necessidades da sua empresa e adquirir os equipamentos adequados para cada função.

Dentre eles podemos destacar:

  • Cinto de segurança
  • Cinto de segurança tipo cadeirinha
  • Cinturão tipo paraquedista
  • Capacete
  • Luvas de segurança
  • Botina de segurança
  • Trava-queda
  • Talabarte
  • Entre outros.

Não deixe de fornecer e incentivar o uso desses EPIs em sua empresa. Além de cumprir as normas de segurança, você estará investindo na saúde e no bem-estar de sua equipe, criando um ambiente de trabalho mais seguro, motivador e produtivo para todos.

Afinal, a proteção dos colaboradores é um compromisso que traz benefícios tanto para a empresa quanto para os seus trabalhadores além de proporcionar o crescimento e sucesso da empresa a longo prazo.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.