EPI para eletricista: conheça quais utilizar e sua importância

Os equipamentos de segurança, tanto o individual (EPI) ou coletivo (EPC) devem ser utilizados em todas as atividades que possam trazer qualquer risco físico ao trabalhador na execução de suas atividades.

A instalação elétrica é uma atividade que pode trazer muitos riscos à integridade física do trabalhador, por isso que existem uma série de normas específicas e equipamentos que devem ser utilizados nesse trabalho.

A NR6 trata dos equipamentos de proteção individual e a NR 10 trata da segurança em instalações e serviços em eletricidade.

Essas normas preveem as condições mínimas e medidas de controle e prevenção que devem ser adotada visando sempre a segurança e a saúde do trabalhador, em todas as fases do processo do projeto.

EPI para eletricista

Quando se trata de eletricidade estamos diante de um risco muito alto e muitas dúvidas podem surgir em relação a segurança e os EPI’s de proteção e se sua empresa está cumprindo com as normas adequadas.

Para começar vale ressaltar que os EPIs são fundamentais para os profissionais da área elétrica. Isso porque os riscos resultantes dessa atividade envolvem desde o trabalhador como quem está nos arredores, circulando no ambiente.

Por isso que o profissional que irá trabalhar com eletricidade deve ser devidamente preparado, bem como conhecer muito bem as medidas protetivas que deve tomar durante a execução do seu trabalho para evitar qualquer acidente.

Equipamentos fundamentais para os profissionais da área elétrica

Todos os equipamentos de segurança utilizados em trabalhos com eletricidade devem ser oferecidos de forma gratuita ao trabalhador. Além de todos os equipamentos possuírem CA – Certificado de Aprovação dos órgãos responsáveis e estarem dentro do prazo de validade.

Os principais EPIs utilizados em trabalhos com eletricidade são:

  • Capacete de segurança classe B: usado quando há risco de choque elétrico
  • Botinas: não podem conter nenhuma parte metálica, e precisa ser de um material isolante, para proteger os pés contra queda de objetos e perfurações
  • Luvas de borracha: para isolar a eletricidade e evitar choques e queimaduras
  • Manga isolante de borracha: usada para isolar a eletricidade nos braços, que também ficam muito expostos ao perigo
  • Cintos de segurança com talabarte: indispensável em caso de trabalhos em altura para minimizar os riscos de queda
  • Protetor facial contra arco elétrico: ideal para proteger o rosto em serviços de alta tensão

Eletricidade e seus perigos

Trabalhar com eletricidade faz com que o trabalhador esteja exposto a diversos riscos e que vão depender muito do ambiente de trabalho. Esses riscos podem ser queimaduras até descargas elétricas de alta intensidade, que podem levar a morte. Entre eles estão:

  • Choque elétrico – é o mais comum e podem causar leves contrações musculares, mas também muito intensas, capazes de causar até uma parada cardíaca
  • Queimaduras – o risco de queimadura é muito grande quando ocorre o contato da pele com a corrente elétrica e são mais graves que as causadas pelo fogo, podendo gerar lesões muito grandes e sérias na pele
  • Arcos elétricos – ocorrem quando a transmissão elétrica acontece por um isolante, como o ar e provoca queimaduras bem sérias na pele apesar de ser mais nocivos que os choques elétricos

O trabalho com eletricidade é coisa séria, por isso que o empregador deve oferecer aos profissionais todos os equipamentos de proteção necessários para a execução dos serviços com segurança.

No entanto, é importante também que a empresa forneça todo treinamento adequado para a devida utilização, manuseio e cuidado com os equipamentos. Além de todos os EPIs conterem Certificado de Aprovação (CA), e o Certificação do Inmetro dentro do prazo de validade, e, em caso de vencimento, a troca ou renovação deles.

Fica a empresa responsável pela fiscalização de acordo com o previsto em norma em relação ao uso e manuseio dos equipamentos.

Todas as ferramentas devem ser fornecidas pela empresa e devem ter cabos feitos em material isolante para evitar que conduzam corrente elétrica.

Responsabilidade do profissional

É de responsabilidade do trabalhador utilizar os equipamento de forma correta e o não uso pode acarretar em advertências e até mesmo em demissão por justa causa.

Cabe ainda ao trabalhador seguir as instruções para utilização e conservação dos equipamentos que lhe foram entregues.

O não cumprimento das mínimas exigências da norma regulamentara podem causar acidentes. No entanto a falta de qualificação do profissional também pode causar acidentes, caso não saibam manusear os equipamentos de forma adequada ou até mesmo se não os utilizarem.

Os equipamentos danificados ou fora da data de validade, podem provocar acidentes ao exporem o trabalhador ao risco direto à corrente elétrica.

A primeira providência a ser tomada, em caso de acidentes, é o desligamento imediato da rede elétrica e o acionamento imediato das equipes de saúde para prestar os primeiros socorros e encaminhar ao hospital mais próximo.

A segurança quanto ao trabalho de eletricistas é fundamental. É importante que todos sejam preparados para os riscos aos quais estarão expostos e para que se preserve a saúde e a integridade dos profissionais.

Por fim as exigências feitas pela NR10 devem ser seguidas e os equipamentos para eletricistas sejam usados de forma correta e consciente para inimizar os riscos de acidentes.

Se você está procurando por Equipamentos de Segurança Individual, como luvas de proteção de qualidade para sua empresa, entre em contato agora conosco e solicite em orçamento com as maiores empresas.

Conheça o curso NR 10, SEP E NR 35 para Eletricista e seja um Profissional Qualificado!

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.