A importância dos calçados de segurança durante a jornada de trabalho

Os calçados de segurança são equipamentos de proteção individual (EPIs) projetados para proteger os pés dos trabalhadores em ambientes de trabalho com riscos de lesões ou acidentes.

Os calçados de proteção podem ser fabricados com diversos materiais e são obrigatórios em muitos setores industriais, como construção civil, indústria química, mineração, entre outros, e seu uso correto é fundamental para a prevenção de acidentes e lesões durante a jornada de trabalho.

Além disso, o uso do sapato de segurança pode ser exigido por órgãos regulamentadores e pelas normas de segurança (NR) do trabalho, garantindo a conformidade legal das empresas e a proteção dos trabalhadores.

Neste artigo separamos dicas importantes sobre a importância do uso dos calçados de segurança, as normas e cuidados. Continue lendo!

Os calçados de segurança

Como vimos os calçados de proteção são essenciais para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores, prevenindo lesões nos pés e reduzindo o risco de acidentes ocupacionais.

Sua principal função é proteger os pés dos trabalhadores em ambientes de trabalho que apresentam riscos de acidentes e lesões.

Esse tipo de EPI é projetado para reduzir o impacto de objetos pesados ou cortantes nos pés, prevenir escorregões e quedas em superfícies molhadas ou escorregadias e proteger os pés de produtos químicos e substâncias corrosivas.

Além da proteção dos pés, os sapatos de segurança também podem contribuir para a redução da fadiga muscular e do estresse nos pés, proporcionando maior conforto e bem-estar aos trabalhadores durante a jornada de trabalho.

Tipos de calçado de segurança

Os diferentes tipos de calçados de segurança disponíveis no mercado possuem características específicas para atender às necessidades de proteção dos trabalhadores em diferentes ambientes de trabalho. Alguns exemplos são:

  • Botas de segurança: são calçados de cano longo que oferecem proteção para os pés e parte da perna. São comumente usadas em ambientes de construção civil, mineração e indústrias pesadas.
  • Sapatos de segurança: são calçados de cano baixo que oferecem proteção para os pés. São utilizados em ambientes industriais, como metalúrgicas, indústrias químicas e farmacêuticas.
  • Tênis de segurança: são calçados de cano baixo que possuem características de segurança, como biqueiras de aço e solados antiderrapantes. São indicados para ambientes com riscos moderados, como indústrias alimentícias e de logística.
  • Botinas de segurança: são calçados de cano médio que oferecem proteção para os pés. São comumente usadas em ambientes de construção civil, indústrias leves e em serviços de limpeza e conservação.
  • Sandálias de segurança: são calçados abertos que oferecem proteção para os pés. São indicadas para ambientes quentes e úmidos, como em indústrias têxteis e alimentícias.

Além desses tipos, existem variações de calçados de segurança com características específicas, resistência a produtos químicos e isolamento elétrico, entre outros.

Eles também podem ser fabricados com diversos materiais, como couro, borracha, polímeros, entre outros, e podem apresentar diferentes tipos de proteção, como biqueiras de aço ou composite e solados antiderrapantes.

Por isso é importante escolher o tipo de calçado adequado para o ambiente de trabalho e para as atividades realizadas pelo trabalhador.

Quais os tipos de EPIs utilizados para proteger os pés?

Além dos calçados de segurança existem outros tipos de equipamentos de proteção individual (EPIs) utilizados para proteger os pés dos trabalhadores, cada um com características específicas para atender às necessidades de proteção em diferentes ambientes de trabalho. Alguns exemplos são:

  • Botas de PVC: são botas feitas de policloreto de vinila (PVC), que oferecem proteção contra produtos químicos e substâncias corrosivas. São utilizadas em ambientes industriais com risco de derramamento de líquidos químicos.
  • Perneira: são equipamentos que protegem a parte inferior das pernas e os pés. São utilizadas em ambientes com risco de lesões causadas por respingos ou projeção de materiais.
  • Protetores de dedos e metatarsos: são equipamentos que protegem os dedos e os metatarsos dos pés. São utilizados em ambientes onde há risco de lesões por impacto ou compressão, como em construções ou na indústria.
  • Palmilhas ortopédicas: são palmilhas que proporcionam suporte e estabilidade aos pés, prevenindo dores e lesões. São utilizadas por trabalhadores que permanecem em pé por longos períodos ou que realizam movimentos repetitivos.

Além desses equipamentos, existem outras opções de EPIs para proteção dos pés, dependendo do ambiente de trabalho e dos riscos presentes.

NR sobre os calçados de segurança

A Norma Regulamentadora NR-6, determina que os empregadores devem fornecer aos trabalhadores, gratuitamente, os EPIs adequados ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento, além de orientar e treinar os trabalhadores sobre o uso correto dos equipamentos.

No caso dos calçados de segurança, a NR-6 estabelece que estes devem atender aos requisitos de segurança e conforto estabelecidos em normas técnicas nacionais ou internacionais, como a ABNT NBR ISO 20344, que estabelece os requisitos mínimos de desempenho para calçados de segurança.

A norma também estabelece que os calçados de segurança devem ser adequados ao risco a que o trabalhador está exposto, levando em consideração as características do ambiente de trabalho, as atividades realizadas pelo trabalhador e as normas de segurança do trabalho aplicáveis.

Portanto, o uso de calçados de segurança em ambientes de trabalho com riscos de lesões ou acidentes é obrigatório e deve ser realizado de acordo com as diretrizes estabelecidas na NR-6.

Quais cuidados devo ter com o calçado de segurança?

Os calçados de segurança são equipamentos fundamentais para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores em ambientes de trabalho com riscos de lesões ou acidentes.

Para garantir a eficácia do equipamento e prolongar sua vida útil, é importante tomar alguns cuidados com o calçado de segurança, tais como:

  • Armazenar em local adequado: o calçado de segurança deve ser armazenado em local seco e arejado, longe de fontes de calor, umidade e produtos químicos.
  • Limpar regularmente: o calçado de segurança deve ser limpo regularmente com um pano úmido e sabão neutro. O uso de produtos químicos ou abrasivos pode danificar o material do calçado e comprometer sua eficácia.
  • Verificar as condições do calçado: antes de usar o calçado de segurança, é importante verificar as condições do equipamento, como o estado do solado, das costuras e do sistema de ajuste. Se o calçado apresentar sinais de desgaste ou danos, deve ser substituído.
  • Fazer manutenção preventiva: é recomendável realizar manutenção preventiva no calçado de segurança, como a aplicação de produtos impermeabilizantes ou lubrificantes para manter a integridade do equipamento.
  • Utilizar corretamente: o calçado de segurança deve ser utilizado corretamente, ajustando-o adequadamente aos pés do trabalhador e utilizando-o sempre que estiver em atividade no ambiente de trabalho.

Tomando esses cuidados com o calçado de segurança, é possível garantir a proteção e o conforto dos trabalhadores, prevenindo lesões e acidentes ocupacionais.

Para garantir a segurança durante a jornada de trabalho o profissional muitas vezes necessita de outros equipamentos de proteção para garantir a segurança integral.

Quais os EPI mais usados?

São diversos os tipos de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) disponíveis no mercado, cada um projetado para proteger o trabalhador contra riscos específicos. Porém entre eles podemos destacar os mais utilizados, como:

  • Capacetes de segurança: protegem a cabeça do trabalhador contra impactos, perfurações e choques elétricos.
  • Óculos de proteção: protegem os olhos do trabalhador contra partículas, poeiras, produtos químicos e radiações.
  • Luvas de segurança: protegem as mãos do trabalhador contra cortes, perfurações, queimaduras, abrasões e produtos químicos.
  • Calçados de segurança: protegem os pés do trabalhador contra impactos, perfurações, escorregões e quedas.
  • Protetores auriculares: protegem os ouvidos do trabalhador contra ruídos intensos e contínuos.
  • Máscaras de proteção respiratória: protegem o sistema respiratório do trabalhador contra poeiras, fumos, gases, vapores e outros contaminantes.
  • Cintos de segurança: protegem o trabalhador contra quedas em trabalhos em altura.
  • Respiradores de ar: protegem o trabalhador em ambientes com baixa concentração de oxigênio ou presença de gases tóxicos.

É importante que os EPIs sejam utilizados corretamente e em conformidade com as normas e orientações dos fabricantes, além de serem devidamente armazenados e submetidos a manutenção preventiva para garantir sua eficácia e prolongar sua vida útil.

Ao adotar medidas de segurança como o uso de EPIs, é possível prevenir acidentes e lesões ocupacionais, contribuindo para um ambiente de trabalho mais seguro e saudável para todos os trabalhadores.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.