Os 6 acidentes de trabalho mais comuns e como preveni-los

Os acidentes de trabalho são um problema recorrente em diversas atividades laborais e podem causar danos graves à saúde e bem-estar dos trabalhadores, além de impactos negativos para as empresas.

Esses acidentes podem ocorrer por diversos motivos, como falhas mecânicas, operação inadequada, exposição a substâncias químicas perigosas e condições climáticas adversas.

Além disso, alguns tipos de acidentes, como quedas e lesões por esforço repetitivo, são particularmente comuns em determinados setores.

Neste contexto, é importante que as empresas adotem medidas preventivas para garantir a segurança e saúde de seus funcionários, incluindo treinamentos, equipamentos de proteção adequados e a promoção de um ambiente de trabalho seguro.

E por se tratar de um assunto importante, separamos os 5 acidentes de trabalho mais comuns e também as medidas preventivas que as empresas podem adotar. Continue lendo e confira!

Conheça os acidentes de trabalho mais comuns

Os acidentes de trabalho são eventos que ocorrem durante o desempenho de atividades laborais, resultando em lesões corporais ou danos à saúde dos trabalhadores.

Infelizmente, esses eventos são relativamente comuns em diversos setores e podem ter consequências bem graves para a saúde e bem-estar dos trabalhadores, além de impactos negativos para as empresas.

A seguir, estão listados os 6 acidentes de trabalho mais comuns:

1 – Quedas

As quedas são o acidente de trabalho mais comum, responsáveis por cerca de 30% dos acidentes registrados. Elas podem ocorrer de diversas formas, como tropeços, escorregões, quedas de alturas elevadas, entre outras.

Os trabalhadores que atuam em áreas como construção civil, manutenção e limpeza estão entre os mais vulneráveis a esse tipo de acidente.

Prevenção

Para prevenir as quedas é fundamental que as empresas adotem medidas de segurança, tais como:

  • Avaliação de risco: é importante realizar uma avaliação de risco para identificar os pontos críticos onde podem ocorrer quedas. Isso pode incluir escadas, plataformas elevadas, áreas escorregadias, entre outros.
  • Implementação de medidas de controle: as medidas de controle podem incluir a instalação de guardas de proteção, corrimãos, gradeamentos, sinalização adequada, entre outros.
  • Treinamento dos trabalhadores: os trabalhadores devem receber treinamento adequado sobre os riscos de queda, as medidas de prevenção, o uso correto de equipamentos de proteção individual (EPIs) e como agir em caso de emergência.
  • Manutenção adequada: é importante realizar manutenção preventiva regular nas áreas e equipamentos que apresentam risco de queda, garantindo que eles estejam sempre em boas condições de uso.
  • Uso de EPIs: os trabalhadores devem utilizar os equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados, como capacetes, cintos de segurança, calçados de segurança, entre outros.

2 – Lesões por esforço repetitivo (LER)

A LER é um tipo de lesão que ocorre como resultado da realização repetitiva de movimentos, geralmente nas mãos, braços, ombros ou pescoço. Ela pode ser causada por atividades como digitação, uso de ferramentas manuais e trabalhos em linha de montagem.

A LER é um dos principais problemas de saúde relacionados ao trabalho e pode causar dor, dormência e perda de força muscular.

Prevenção

É importante que as empresas adotem medidas preventivas, como a análise ergonômica do trabalho e a implementação de medidas que visem a melhoria das condições de trabalho, tais como o uso de equipamentos ergonômicos, como teclados e mesas ajustáveis, a oferta de pausas para descanso e alongamento e a organização do ambiente de trabalho para minimizar movimentos desnecessários.

Além disso, é importante que os trabalhadores sejam instruídos sobre a importância do uso correto das técnicas de trabalho, a postura correta, a realização de alongamentos regulares e a prevenção da fadiga muscular.

3 – Acidentes com máquinas

Acidentes envolvendo máquinas e equipamentos são comuns em diversos setores, especialmente em fábricas e indústrias.

Eles podem ocorrer devido a falhas mecânicas, operação inadequada, falta de manutenção e outras razões. Esses acidentes podem resultar em lesões graves, como cortes, amputações e fraturas.

Prevenção

É fundamental que as empresas realizem uma avaliação de riscos e adotem medidas de controle, como a implementação de proteções em pontos críticos das máquinas, a instalação de sistemas de parada de emergência, a sinalização adequada dos riscos, a manutenção preventiva e a substituição de peças desgastadas.

Além disso, é importante que os trabalhadores recebam treinamentos específicos sobre o uso correto das máquinas e a importância de seguir as normas de segurança estabelecidas pela empresa.

Os trabalhadores também devem ser instruídos a usar equipamentos de proteção individual adequados, como capacetes, óculos de proteção, protetores auriculares, luvas e sapatos de segurança.

4 – Exposição a substâncias químicas

Muitos trabalhos envolvem o manuseio de substâncias químicas perigosas, como ácidos, solventes e produtos químicos tóxicos.

A exposição a essas substâncias pode causar danos à saúde dos trabalhadores, como irritações na pele, problemas respiratórios, intoxicação e até mesmo câncer.

Prevenção

Para prevenir a exposição a substâncias químicas, é importante que as empresas realizem avaliações de riscos e adotem medidas de controle, como o uso de equipamentos de proteção individual adequados, como luvas, óculos, máscaras e roupas especiais.

Além disso, é importante que sejam estabelecidos procedimentos de segurança para o manuseio, armazenamento e transporte de substâncias químicas, bem como para a descarte correto de resíduos.

Também é importante que sejam realizados treinamentos para os trabalhadores sobre os riscos das substâncias químicas, a forma correta de manuseá-las e a utilização dos equipamentos de proteção individual.

Além do monitorização dos níveis de exposição às substâncias químicas no ambiente de trabalho também é fundamental para garantir a segurança dos trabalhadores.

5 – Acidentes com ferramentas

Os acidentes com ferramentas são um dos tipos mais comuns de acidentes de trabalho. Eles podem ocorrer em qualquer setor que utilize ferramentas manuais ou elétricas, como construção civil, indústria e manutenção.

Esses acidentes podem ser causados por diversos fatores, como falta de treinamento, uso inadequado de ferramentas, ferramentas defeituosas ou danificadas, falta de manutenção e a não utilização dos equipamentos de proteção individual adequados.

Os acidentes com ferramentas podem resultar em lesões graves, como cortes profundos, amputações e fraturas. Além disso, eles podem levar a afastamentos prolongados do trabalho e até mesmo à incapacidade permanente.

Prevenção

Para prevenir acidentes com ferramentas, é fundamental que as empresas promovam treinamentos regulares sobre o uso correto das ferramentas e a importância do uso de equipamentos de proteção individual adequados. Também é importante que as ferramentas sejam mantidas em bom estado de conservação e que sejam verificadas periodicamente quanto à sua funcionalidade e segurança. Além disso, os trabalhadores devem sempre verificar as condições das ferramentas antes de utilizá-las e seguir as normas de segurança estabelecidas pela empresa.

6 – Exposição a ruídos

A exposição a ruídos é um dos principais riscos ocupacionais em diversos setores, como indústrias, construção civil, transporte e serviços de entretenimento. O ruído em excesso pode causar danos à saúde auditiva, como perda auditiva permanente, zumbido no ouvido e dificuldade de comunicação. Além disso, pode causar problemas de saúde geral, como aumento do estresse e da pressão arterial.

A exposição prolongada a níveis de ruído acima do permitido pode causar a perda auditiva induzida pelo ruído, que é irreversível e pode levar à perda parcial ou total da audição. A gravidade do dano auditivo depende da intensidade e duração do ruído, bem como da sensibilidade individual do trabalhador.

Prevenção

Para prevenir a exposição a ruídos, é importante que as empresas realizem avaliações de riscos e adotem medidas de controle, como a utilização de equipamentos de proteção individual, a redução do tempo de exposição e a implantação de barreiras acústicas. Também é importante que sejam realizados treinamentos para os trabalhadores sobre os riscos do ruído excessivo e a forma correta de utilizar os equipamentos de proteção.

A prevenção é sempre a melhor escolha!

A segurança no ambiente de trabalho é fundamental para garantir a saúde e o bem-estar dos trabalhadores, bem como para evitar prejuízos financeiros e operacionais para as empresas.

É importante destacar que a prevenção de acidentes deve ser uma responsabilidade compartilhada entre empregadores e empregados, com a adoção de medidas preventivas adequadas e a conscientização sobre a importância da segurança ocupacional.

Os acidentes de trabalho mais comuns, como quedas, lesões por esforço repetitivo, exposição a substâncias químicas, acidentes com máquinas e exposição a ruídos, podem ser prevenidos por meio de medidas simples, mas eficazes, como a implementação de medidas de segurança adequadas, o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), a realização de treinamentos e a conscientização dos trabalhadores sobre os riscos e as medidas preventivas.

Investir em segurança no trabalho é uma atitude que deve ser valorizada por todas as empresas, independentemente do porte ou segmento de atuação.

Além de proteger a saúde e a segurança dos trabalhadores, a prevenção de acidentes também contribui para a melhoria da produtividade, redução de custos e para a construção de um ambiente de trabalho mais saudável e seguro para todos.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.